cura



café verde


O café verde (Green Coffee) parece um produto natural bem eficaz para perder peso, um queimador de gordura. Segundo os especialistas, é o elevado teor de ácido clorogénico presente no café verde o responsável disso, presente nas sementes de café, mas que é destruído durante a torrefação dos grãos de café. Além de emagrecer, o ácido clorogénico é considerado um antioxidante e protetor, controlando a formação de radicais livres.
 
Na opinião do Dr. Lindsey (o convidado no programa de Dr. Oz) o extrato de grãos do café verde funciona de mais do que uma maneira: "Primeiro, esforça o organismo para queimar a glucose, quer dizer açúcar e para queimar gorduras, principalmente no fígado. Segundo, o que é muito importante, retarda a libertação do açúcar no sangue. E quando no sangue não se acumula açúcar, não se acumula muito a gordura uma vez que o açúcar é convertido em gordura. A sinergia destas duas medidas permite a queima simultânea e bloqueia a deposição de gordura de forma natural e segura."
 
O Ácido Clorogénico (GCA) é um antioxidante que retarda a libertação de açúcar na corrente sanguínea. Quando não há açúcar no sangue, significa que não há acumulação de gordura no corpo. O Ácido Clorogénico aumenta o metabolismo e promove a queima de gordura no fígado, transformando a gordura em energia, em vez de armazená-lo no seu corpo.
 
Alguns estudos:
 
Japão 2006
Um dos primeiros estudos sobre o efeito do café verde sobre a acumulação de gordura é um estudo efetuado em 2006, no Japão. Este estudo experimentou a subministração de extrato de café verde em ratos. Os resultados do estudo confirmam que o extrato de café verde tem potencial no tratamento do excesso de gordura. Estes resultados sugerem que Green Coffee é, possivelmente, eficaz contra o ganho de peso e a acumulação de gordura através da inibição da absorção de gordura e da ativação do metabolismo da gordura no fígado. (Shimoda H., Seki E., Aitani, Japan, 2006).
 
E.U.A. 2012
O estudo que despertou a nova vaga de interesse para o Café Verde foi apresentado em 2012 na American Chemical Society (ACS).O estudo envolveu 16 pessoas com idades entre 22 e 26 anos que tomaram cápsulas de extrato de café verde ou cápsulas contendo placebo durante 22 semanas. Os participantes perderam uma média de 7,7 quilos durante as 22 semanas do estudo, uma média de redução de 10,5% do peso total do corpo e uma diminuição de 16% em gordura corporal. “Baseados nos nossos resultados, tomar várias cápsulas de extrato de café verde por dia, junto com uma dieta saudável baixa em gordura e exercícios regulares, parece ser um modo seguro, eficaz e barato para perder peso”. (Vinson 2012)

A hipnose clínica no antienvelhecimento

Através de exercícios simples é possível alterar o estado, a atitude e mesmo a forma de um indivíduo encarar o contexto em que vive, contribuindo, em última instância, para o combate ao envelhecimento precoce. A Organização Mundial de Saúde considera a hipnoterapia válida e recomenda-a no tratamento da ansiedade, da asma, da síndrome do cólon irritável e nos cuidados paliativos, entre outros sintomas psicológicos e psicossomáticos.
 
A hipnose é um estado em que a mente fica calma mas totalmente desperta, o que permite que se mantenha o controlo do que se diz ou faz. Em hipnose, o inconsciente, que influencia as nossas funções físicas e mentais, passa para primeiro plano, tornando-se mais ativo e recetivo à terapia e aos cuidados. A hipnose clínica, ou hipnoterapia, é o uso desse estado de consciência alterado, ou transe, com uma finalidade terapêutica. Isto significa que as pessoas não são tratadas com a hipnose, mas no estado de hipnose. Atualmente, para além de tratar sintomas psicológicos e psicossomáticos, a hipnose clínica avançou para o campo da estética, obtendo também resultados no processo antienvelhecimento.
 
O que é a hipnose
 
Considerada como um estado alterado da consciência, que se caracteriza por um profundo relaxamento do corpo, semelhante ao que experimentamos durante o sono, a hipnose não impede, no entanto, que a mente fique alerta e desperta para trabalhar e laborar sobre assuntos próximos das nossas vivências. Isto é, o estado hipnótico é um fenómeno puro do Sistema Nervoso Central (SNC), inter-relacionado com o Sistema Imunitário (SI) e com a vontade do ser humano (vontade individual). Para os cientistas que estudam os diferentes estados neurológicos, é hoje consensual que o estado de hipnose pode ser verificado através da tomografia por emissão de positrões (PET), bem como as respetivas alterações sinalizadas nos processos cerebrais, ao utilizarmos sugestões durante o transe hipnótico com resultados tanto a nível psíquico como fisiológico. Descobertas desenvolvidas desde há centenas de anos confirmam a existência de um estado de consciência que abre as portas para recursos psicofisiológicos em cada um de nós. Esse estado de consciência, ao ser utilizado de uma forma adequada, contribui para o equilíbrio, promovendo o bem-estar nos contextos pessoal, social e profissional. Na sua vertente clínica, a hipnoterapia é uma ferramenta de extrema eficácia em problemas decorrentes de uma difícil gestão de ansiedade ou mesmo de stress, que contribui de forma evidente para o envelhecimento do ser humano.
 
Como funciona?
 
Através da hipnose é possível aceder e trabalhar com o inconsciente, instância psíquica que, segundo Sigmund Freud, possui conteúdos e provavelmente uma energia específica, a parte da nossa mente onde tudo o que vivemos, aprendemos e experimentámos está registado, e que tem um potencial de força e de sabedoria muitas vezes desconhecido. Sendo a hipnose um estado que atua na fronteira entre o psíquico e o somático, apresenta-nos um leque de aplicações em variadas áreas ligadas ao Homem: saúde, estética, educação, sociologia, desporto, medicina geral, psicologia, entre outras. A hipnoterapia usa o transe hipnótico como veículo para chegar a um objetivo, que passará por criar mudanças positivas no pensamento, gerando comportamentos mais assertivos e saudáveis. De entre os vários problemas de saúde identificados destacamos, como mais frequentes e passíveis de intervenção, os comportamentos indesejados, o controlo da dor, problemas digestivos, fobias, ataques de pânico, problemas de falta de autoestima ou autoconfiança, ansiedade, dificuldade de concentração, alteração do comportamento alimentar, entre outros. O estado de transe hipnótico, por si só, provoca reações psicofisiológicas que se traduzem num bem-estar geral, identificado por um estado contemplativo, imóvel, com diminuição do ritmo cardíaco, aparente sonolência, torpor muscular apreciável, perda de movimentos voluntários, redução da temperatura, entre outras reações associadas ao Sistema Nervoso Parassimpático. Este estado pode surgir espontaneamente ou ser induzido, se o permitirmos.
 
Ação anti-idade
 
Os estados de ansiedade, o stress e as tensões a que nos encontramos submetidos diariamente contribuem, em grande medida, para o envelhecimento precoce da pele e dos nossos órgãos internos. Assim, controlando através da hipnose estes estados de tensão, o processo de envelhecimento é retardado de forma natural. No contexto atual, é sabido que vivemos a um ritmo tal que os níveis de ansiedade se mantêm constantemente muito elevados, ou seja, o nosso Sistema Nervoso Simpático mantém o corpo estimulado mesmo sem necessidade. Por consequência, o metabolismo dos vários sistemas que constituem o organismo também se mantêm ao mesmo nível de estimulação, como por exemplo o sistema musculoesquelético que mantém os músculos em tensão quase constante. Como tal, o nosso ritmo de vida diário tem implicações a vários níveis:
 
Muscular
 
A contração dos músculos, por longos períodos, pode desencadear dores de cabeça (tensão), enxaquecas, rugas e várias outras afetações ao nível muscular.
 
Respiratório
 
O stress pode dificultar a respiração ou torná-la mais rápida, provocando em última instância a hiperventilação, o que poderá desencadear os chamados ataques de pânico.
 
Circulatório
 
O stress agudo, que se vive por exemplo num engarrafamento de trânsito, causa tendencialmente um aumento significativo do ritmo cardíaco e contrações mais fortes do músculo do coração. Repetidos episódios de stress agudo podem levar a inflamações nas artérias coronárias, que poderão em consequência desencadear um ataque cardíaco.
 
Digestivo
 
O stress pode despertar fome ou ausência de apetite, bem como aumento do consumo de tabaco ou álcool, ambos verdadeiramente nocivos para a saúde. O esófago pode ter como sintomas mais comuns a azia e o refluxo, assim como o estômago manifestar náuseas e dor. Em caso de stress severo pode até originar o vómito. Em todas as situações descritas, a hipnose fornece ferramentas que habilitam o cliente, através de técnicas específicas, a lidar com os seus conflitos de uma forma assertiva e saudável, contribuindo deste modo para retardar o processo de envelhecimento. Entre as técnicas mais vulgarmente utilizadas, salienta-se a auto-hipnose como sendo uma das mais eficazes ferramentas de gestão da ansiedade e do stress, bem como para consolidação de resultados no que respeita a técnicas utilizadas em consulta, o que confere a quem a recebe uma capacidade de potenciar determinados estados desejados no cumprimento do objetivo previamente definido. No fundo, o que é importante reter no que respeita a esta técnica é que permite ao indivíduo ir gradualmente ganhando independência, aumentando a sua noção de autossuficiência. Numa perspetiva de gestão/transformação pessoal, qualquer pessoa poderá ter acesso a esta técnica e aos seus benefícios.
 
Procedimento
 
O ser humano não precisa de se conformar com o pouco que conhece de si, mas pode e deve procurar um estado que lhe permita sentir-se simultaneamente respeitador e respeitado na sua verdade interior, pacificando e encontrando o seu próprio equilíbrio. Desta forma, e insistindo mais uma vez no fator motivação, fica a ideia de que é possível ser ambicioso quanto a mudanças e aos respetivos resultados. No que respeita a esta terapia, apenas se poderá considerar candidato a este protocolo terapêutico alguém que esteja de facto decidido a mudar, uma vez que o terapeuta irá trabalhar sobre a sua motivação, sendo essa determinante para o sucesso. Como conclusão, parece claro que o ser humano permanentemente se desafia no intuito de chegar mais longe, desenvolvendo aptidões para lidar com os contextos em que vive, e ainda para alterar esses mesmos contextos, evoluindo e fazendo evoluir. Estar vivo é o único requisito necessário, daí para a frente é só mesmo preciso acreditar e dar o passo para a ação, realizar e realizar-se.
 
Caso prático
 
Como exemplo de um processo no qual a paciente é sujeita à análise interior de questões limitadoras do seu bem-estar, temos a “Maria”, psicóloga de formação, cujo testemunho é elucidativo do trabalho que é possível desenvolver. Neste caso específico, foi utilizada uma abordagem inicial cujas técnicas visaram potenciar a sua capacidade lúdica e imagética, levando-a a construir um espaço interior livre de conflito com o objetivo de lhe instalar segurança e conforto, predispondo-a para a mudança. Nas palavras de “Maria”, esta confessa que quando chegou ao consultório a sua autoestima estava em baixo, não confiava em ninguém nem em si própria. “Uma sucessão de maus relacionamentos, uma educação muito rígida e cheia de condicionamentos e um autocontrolo muito grande, imposto desde cedo, foram algumas das razões que me levaram a procurar terapia. Passaram-se meses desde a primeira consulta, e o processo não foi fácil. Trabalhámos muito e, a pouco e pouco, a confiança foi-se instalando. Olharmo-nos e penetrarmos fundo no nosso ser pode ser difícil, traz muita coisa do passado que guardamos e não queremos mexer. Mas garanto que no final, depois de tudo compreendido, a sensação de paz e de bem-estar compensa toda a dor que vivemos durante o processo. A nossa vida é composta por um sem-número de experiências, cabendo-nos a nós valorizar as coisas positivas que vivemos e ver as negativas como uma aprendizagem. Apesar de sentir que o processo ainda não terminou, considero a minha experiência muito positiva e sinto-me hoje rejuvenescida por dentro e por fora.”
 

Chi Kung



O Chi Kung (QiGong) é uma prática terapêutica em que se realizam exercícios que combinam movimento suave e respiração controlada, e na qual a atenção e a visualização do praticante estão concentradas nas várias partes do corpo, de modo a alterar o fluxo de energia. Chi Kung significa literalmente “energia” (Chi ou Qi) e “habilidade, treino” (Kung ou Gong), ou seja, treino e desenvolvimento da energia (do corpo humano). Durante milénios, o Chi Kung foi conhecido por outros nomes – Dao Yin ou Nei Gong, entre outros – e estava frequentemente ligado à prática das artes marciais, de sistemas esotéricos de meditação e desenvolvimento espiritual e de sistemas de medicina preventiva.
 
Semelhante a outras práticas bioenergéticas ocidentais, o que diferencia o Chi Kung é que está profundamente ligado às teorias da Medicina Tradicional Chinesa, ou seja, utiliza a teoria dos meridianos e pontos de acupunctura, da circulação de energia e outros conceitos, para exercitar o corpo e a mente – aliás, do ponto de vista da Medicina Chinesa é impossível dissociar mente e corpo. Assim, quando um praticante está a fazer um exercício de Chi Kung está a manipular a energia do seu corpo de acordo com estes princípios.
 
O Chi Kung é um tipo holístico de exercício, muito diferente dos sistemas de exercício e ginástica modernos que apenas endereçam os componentes exteriores do nosso corpo, músculos e capacidade cardiovascular, muitas vezes correndo o risco de criar outros problemas (de articulações, postura, de esgotamento dos órgãos e assim por diante). No Chi Kung todos os sistemas do corpo são exercitados: os órgãos internos são suavemente massajados, as circulações de sangue e linfa são estimuladas, a capacidade respiratória é suavemente expandida e melhorada, as articulações são exercitadas de modo saudável, e assim por diante, ao mesmo tempo que o envolvimento mental do praticante representa um outro nível de exercício, com enormes benefícios a nível do relaxamento, da lateralidade do cérebro e da concentração. Todos estes benefícios fazem com que o Chi Kung seja um maravilhoso sistema de prevenção das doenças. Nalguns casos, e acompanhado por um instrutor competente de Chi Kung, o praticante poderá completar a sua prática com exercícios que tratem especificamente os seus problemas.
 
Para que o Chi Kung seja verdadeiramente eficiente na manutenção da saúde e no combate ao stress, deve, no entanto, ser praticado regularmente, de preferência todos os dias, para ir fortificando o corpo progressiva e suavemente. O praticante deve primeiro procurar aprender um sistema completo. Geralmente estes sistemas são constituídos por uma série de exercícios, cada um dos quais deve ser feito durante uma série de repetições. Uma vez que o praticante tenha atingido um grau de habilidade razoável com estes exercícios, poderá começar a explorar outros aspectos do Chi Kung.
 

Tai Chi Chuan


De acordo com pesquisas recentes realizadas por duas universidades estrangeiras- de todas as artes terapêuticas, físicas e mentais, o Tai Chi é o mais suave e fácil de ser aprendido. O seu poder de rejuvenescimento, tanto físico como mental, tem sido comprovado, pois a actividade baixa a pressão sanguínea, irriga as juntas, estimula a circulação, fortalece os músculos e o sistema imunológico, promovendo a calma mental. E tudo isso sem stress ou tensão! Em toda a China, milhares de homens, mulheres e crianças de todas as idades se reúnem nos parques das cidades todas as manhãs, bem cedo, para praticar a arte graciosa do Tai Chi, com o objectivo de melhorar sua forma física e mental.
 
O exercício é feito por meio de movimentos simples, suaves e fáceis de serem aprendidos. Não exige habilidades especiais e pode ser executado em qualquer lugar, interior ou exterior, sozinho ou em grupo. Qualquer pessoa pode desenvolver a arte a níveis bastante elevados. Basta uma prática consistente, concentração e um bom professor. Mesmo sendo um tipo de exercício de baixa velocidade, o Tai Chi ainda melhora a saúde cardiovascular e a forma física das pessoas, além de aliviar os estados depressivos.
 
Actividade ajuda a envelhecer com Saúde
 
Aqueles que praticam o Tai Chi Chuan consistentemente costumam ter uma vida diferente, especialmente quando chegam aos 80 e 90 anos de idade. Seus ossos são fortes, não são frágeis. As suas juntas são flexíveis, não sendo doridas ou rígidas. As suas mentes não são distraídas; elas permanecem alertas, conscientes e com grande capacidade de concentração. O seu coração é forte e bate calmamente e seus corpos têm uma grande força interior que previne todas as doenças.
 
O Tai Chi é frequentemente prescrito como um tratamento a um sem número de doenças e condições dolorosas. Se tiver uma artrite, por exemplo, a actividade será o seu melhor exercício para alongamentos, pois trabalha a flexibilidade necessária para que as juntas enrijadas possam mobilizar novamente com elasticidade. Se você tem cancro, o Tai Chi é ideal porque melhora a capacidade aeróbica e estimula o sistema imunológico, sem prejudicar os radicais livres. Quem sofre do coração e pratica os exercícios regularmente consegue regularizar não apenas a pressão sanguínea, como também perde peso e elimina sentimentos negativos, tais como raiva, frustração e depressão – os quais podem desencadear um ataque do coração.
 
Os Cinco Principais Benefícios do Tai Chi
 
Já deu para perceber que o Tai Chi Chuan é uma verdadeira fonte de juventude. Ele activa as suas hormonas e as células imunes, fortalece o coração, coloca em ordem as funções orgânicas, refina reflexos e equilíbrio e ajuda a afastar os sinais da idade. Como se não bastassem todos esses benefícios, o método ainda faz bem para o humor. Praticar a actividade é como abrir uma janela num quarto abafado – um grande alívio! Para aqueles que detestam exercícios e para qualquer pessoa cujas juntas e coração não podem exercer movimentos extenuantes, o Tai Chi é perfeito. Para o coração e o metabolismo, a actividade equivalente a uma caminhada de quatro quilómetros. Mas o Tai Chi tem algo especial, que oferece um fortalecimento geral da saúde através de formas muito diferentes dos exercícios convencionais.
 
Confira abaixo os cinco maiores benefícios do método:
 
•Desperta a energia e equilibra a pressão sanguínea: as técnicas respiratórias reduzem o stress, diminuem a frequência cardíaca e aumentam o nível energético.
•Aumenta a capacidade de concentração: executando as formas dos movimentos, o praticante exercita a memória e aumentando a capacidade de executar as tarefas diárias com maior facilidade.
•Alonga os músculos e deixa as juntas flexíveis: os movimentos vagarosos e circulares diminuem a tensão e aumentam a resistência muscular e a flexibilidade das articulações.
•Melhora o equilíbrio e reduz o risco de quedas e acidentes: a pessoa aprende a girar o seu corpo vagarosamente e andar numa postura mais estreita, melhorando o equilíbrio e diminuindo consideravelmente as chances de cair ou se machucar.
•Melhora a circulação: a respiração profunda e os movimentos amplos revigoram os músculos e aumentam o fluxo sanguíneo. Isso permite que o oxigénio fresco circule com nutrientes através dos membros, alimentando as extremidades do corpo com mais energia.
 
Fonte: Personare